Olá!!!

Que bom ter você por aqui!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

As Princesas na Literatura Infantil



Algumas Princesas da Cultura Africana

OIÁ e o búfalo interior

Oiá era uma linda princesa menina. A sua beleza era muito conhecia e ela era disputada por vários príncipes e pessoas comuns. Desde criança, Oiá tinha como atributos a beleza, a graça, a rapidez, a determinação e a genialidade. Era de fato uma menina guerreira.
Mas a menina Oiá tinha conhecimentos que ninguém mais possuía: ela podia transformar-se em animais. Dentre eles, o búfalo era o que ela mais gostava.

OLOCUM e o segredo do fundo do oceano

Olocum era uma linda menina, porém misteriosa e triste. Não gostava de se enfeitar, nem de usar perfumes, tinha uma beleza natural.
Desde criança, tinha atributos como a introspecção, a contemplação, a timidez e a quietude.
Mas a princesinha Olocum guardava um grande segredo: era anfíbia.
________________________________

Essas e outras histórias estão no Livro: OMO-OBA: Histórias de Princesas
Autora: Kiusam de oliveira

Mostra Visualidades


Conto Africano: Por que a galinha d'angola tem pintas brancas?

Os mais antigos contam que esta história aconteceu durante uma das piores secas ocorridas nas savanas ao Sul da África.

O sol, inclemente, castigava todos os seres vivos: plantas e animais.

Logo os rios e lagos secaram, aumentando o sofrimento. O calor abria fendas no solo e levantava uma espessa poeira que borrava de cinza o céu borrado de azul.

Os habitantes dos vilarejos, desnorteados, fugiram para as montanhas, rogando por chuvas, mas não havia prece que desse jeito na calamidade.

Um dia, porém, uma mancha escura despontou no horizonte. Todos ficaram excitados. Sinal de que as chuvas estavam se aproximando.

Só que um elefante, desengonçado, atrapalhou tudo. Afugentando a nuvem.

A galinha-d'angola que, naquela época, além de uma crista avermelhada no alto da cabeça, tinha as penas inteiramente pretas, não se conteve. Indignada com a atitude do paquiderme, correu horas e horas atrás da nuvem, suplicando para que ela retornasse, sem se importar com os espinhos que iam rasgando-lhe as pernas desnudas.

- Por favor, Senhora, volte. Por favor, Senhora, volte – repetia sem cessar, enquanto o sangue escorria por suas feridas.

A Dona das Águas, finalmente, parou e disse:

- Por causa de sua perseverança, da sua dor e da sua preocupação com o destino de todas as outras criaturas, eu regressarei. Graças aos meus poderes, interromperei a seca.

- Obrigada - agradeceu a ofegante corredora.

- E, como você se dirigiu a mim de um modo tão respeitoso, receberá de presente o brilho das gotas da chuva, que cairão sobre o seu corpo. Assim, será uma das aves mais bonitas da terra.

Não demorou muito para desabar um temporal, em meio a raios e trovões. A galinha,d'angola, toda molhada, ganhou como ornamento os pingos que foram resvalando em suas penas, transformando,a, como fora prometido, em uma das aves mais lindas de toda a África.

Devido à canseira dagalinha-d'angola, suas descendentes ciscam por vários cantos do planeta, agitando a penugem de cor negra, como a pele da maioria dos povos de seu extenso continente. Enquanto exibem as penas salpicadas de pintas brancas} as galinhas-d'angola cacarejam como se estivessem expressando, até hoje, o esforço empreendido por sua ancestral:

_ To fraca, to fraca, to fraca, to fraca!


( Outros contos africanos para crianças brasileira – Rogério Andrade Barbosa)

Estamparia Africana: Atividade desenvolvida pela professora Glaucia (Artes)

Mulheres Africanas: beleza e arte - Atividade desenvolvida pela professora Glaucia (Artes)





Arte Africana: Máscaras e Mandalas - professora Glaucia (Artes)

domingo, 9 de outubro de 2011

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Paródia contra o preconceito racial: alunos 4º ano (sala 3)

video

Essa  paródia contou com a colaboração do aluno Eduardo, que preferiu não participar da gravação do vídeo

Paródias e Musicas com Mensagens Contra o Preconceito: alunos do 4º ano (sala 2)

video
video

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A BOTIJA DE OURO


Essa história mostra como os escravos eram tratados pelos coronéis no tempo da escravidão no Brasil.  Naquela época, tudo que o coronél mandava, os escravos tinham que fazer. Daí que surgiu a brincadeira: "O mestre mandou..." ou  "O che fe mandou...". Você conhece essas brincadeiras?            

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Toquinho: Negro Rei

Toquinho

Composição: Toquinho / Paulo César Pinheiro
O negro foi rei, foi soberano,
Feroz caçador, grande guerreiro
Na terra natal, solo africano,
Exímio artesão e feiticeiro.
Até que com bota a meio cano
Chegou o invasor aventureiro.
Navio-negreiro no oceano,
O negro se foi pro cativeiro.
Foi preso na argola da senzala
Com marca de dono a ferro quente.
Porém cada vez que o açoite estala
O negro só fica mais valente.
Encara punhal, chicote e bala,
Zumbi dos Palmares vai na frente,
E ao som do tambor que não se cala
A espada de Ogum quebra a corrente.
A lei da princesa acaba a guerra
Mas livre ele fica no abandono,
Primeiro trabalhador sem terra
Já que toda a vida foi colono.
Mas como Palmares, lá na serra,
Não tem feitor, não tem mais dono,
E a história do negro não se encerra
Pois quem já foi Rei não perde o trono.

Poema NAVIO NEGREIRO: autor Castro Alves narrado por Caetano Veloso e Maria Betânia

Clipe música RESPEITE MEUS CABELOS BRANCOS Chico Cesar

Trecho do filme Amistad NAVIO NEGREIRO

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Por que somos diferentes?


Trecho do texto “Evolução Humana” de MARCO ANTÔNIO CAMPO DALL’ORTO. CAPÍTULO 03: página 29-33
Disponível no site: http://pt.scribd.com/doc/52140510/EVOLUCAO-HUMANA-pdf
 

ADAPTAÇÕES GENÉTICAS
Somos diferentes?
Qual a razão para haver humanos diferentes fisicamente uns dos outros? Porque existem pessoas com a pele branca, outras de pele negra, os asiáticos com a pele amarela, pessoas de olhos puxados, cabelos lisos, loiros, ruivos ou crespos? São as razões dessas diferenças, que tentaremos responder neste capítulo de nossa apostila.
Adaptações humanas
Há 40 mil anos atrás, os humanos viviam em bandos, isto é, em tribos pelo mundo. Cada grupo de seres humanos então era como uma família. Nos dividíamos pelo sexo: as mulheres cuidavam das crianças e os homens caçavam e protegiam o bando.Nossos antepassados (os primeiros seres humanos) se deslocaram da África para diversos outros lugares do mundo.
Uma parte foi para a Europa e outra parte foi para a Ásia inicialmente. Esses humanos viviam tão distantes uns dos outros, que a vida deles passou também a ser bem diferente. Esses bandos viviam da caça de animais, da coleta de plantas, raízes ou frutas por onde andavam.Os humanos da África continuaram com a pele negra, pois quando a quantidade de pêlos foi diminuindo do corpo dos seres humanos, o que protegia pela contra os raios do sol,  a quantidade melanina na pele foi aumentando, para protegê-la do Sol. A melanina é uma pigmentação que dá cor a pela, então, quanto mais melanina, mais escura é a pele
Eles também possuíam o nariz mais largo, para que o ar quente pudesse esfriar um pouco até chegar ao pulmão, possuíam também o cabelo crespo para proteger o cérebro do Sol escaldante. Os humanos da África eram bem adaptados ao calor, eles conheciam muito bem as táticas de caça dos animais africanos e os lugares onde tinham água seguindo outros animais. Essas e outras adaptações ao ambiente africano, fizeram com que, os humanos africanos conseguissem desenvolver uma forma de vida bem especializada naquele ambiente de Sol escaldante.
Os humanos da Europa foram sofrendo mutações, pois precisaram se adaptar ao novo ambiente mais frio. Por isso, os corpos deles foram sofrendo grandes alterações. A pele não precisava mais possuir grande quantidade de melanina, pois não precisava mais proteger do Sol intenso. Os cabelos não precisavam mais proteger o cérebro do Sol escaldante. Assim, ao longo dos séculos, o cabelo dos europeus foi ficando liso para proteger a cabeça do frio como uma roupa, o nariz foi ficando mais fino para que o ar frio esquentasse um pouco mais até chegar aos pulmões e a cor dos olhos foi ficando mais clara, pois a íris não precisava ser negra para absorver mais raios solares e deixar a visão mais confortável para a pupila. Na Ásia, os humanos também não precisavam de muita melanina na pele e por isso são chamados de amarelos. Os olhos ficaram puxados para proteger da grande claridade que o Sol reflete na neve, além dos ventos fortes. Devido ao frio, seus corpos ficaram menores para não perder muito calor. Seus cabelos também ficaram lisos para aquecer a cabeça do frio.


quarta-feira, 6 de julho de 2011

Aula: Os personagens negros na Literatura



Esta aula foi elaborada para os estudantes do 2º ano. O objetivo foi fomentar o debate acerca quantidade de personagens negros nos livros de literatura que as crianças têm acesso na biblioteca da escola.
As crianças assistiram três histórias:

  • O MENINO NITO
  • BRUNA E A GALINHA D'ANGOLA
  • MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA

Porteriormente perguntamos aos estudantes:

  1. O que tinha de parecido entre os três personagens principais das histórias?
  2. Você já leu algum livro que tinha personagens parecidos fisicamente com os que vimos nas três histórias?
  3. Por que será que existem poucos personagens negros nos livros da biblioteca?

Atividade sobre os personagens



Solicitamos que as crianças completassem as frases das histórias, atendando-se para a quantidade de sílabas de cada palavra que falta:



" O coelho achava a menina a pessoa mais ___ ___ do mundo!"


"Nito era um menino muito ___ ___ ___ só que ___ ___ ___ sempre sem motivo"

"Bruna gostava de brincar com sua ___ ___ ___.

Bruna dizia:

-Com quem vou brincar?"








sexta-feira, 1 de julho de 2011

Aula " Cultura Africana" 01 de julho de 2011

O objetivo da aula:



Introduzir o tema para os alunos de 3º, 4º e 5º anos a partir do vídeo "Cultura Africana".



Promover um depate para sondar o que os estudantes já conheciam sobre a África e seus costumes, bem como a sua influência na cultura braileira.